MEMÓRIAS DO FAZER AZULEJO NA FÁBRICA CONSTÂNCIA

  • Marluci Menezes Laboratório Nacional de Engenharia Civil – LNEC
  • Sílvia Pereira Laboratório Nacional de Engenharia Civil – LNEC
Palavras-chave: Memória sociotécnica, Processos produtivos, Artistas e artesãos de azulejo, Fábrica Constância, Cerâmica

Resumo

O artigo discute os ofícios e as tarefas executadas nos processos fabris de produção/criação do azulejo. É conferida especial atenção à memória socio-técnica de quem faz e cria o azulejo. Os testemunhos orais de antigos trabalhadores da Fábrica Constância (1836-2001), sita em Lisboa, são então a referência empírica que sustenta a reflexão. A discussão reflete sobre: (1) o interesse em relevar a experiência com o azulejo a partir da memória socio-técnica,; (2) a atividade da Fábrica Constância, nomeadamente no que concerne à produção de azulejo; (3) a aprendizagem, especialização e a maleabilidade técnico-profissional que envolve os processos e especialidades técnico-criativas, comentada a partir de dois testemunhos de antigos trabalhadores da fábrica.

Publicado
2018-06-10
Secção
ARTIGOS