PANORAMA DAS ARTES DECORATIVAS EM SÃO PAULO ENTRE 1950 E 1960

  • Patrícia Freitas Doutoranda (Unicamp-SP)
Palavras-chave: Artes decorativas, São Paulo, Arquitetura Moderna, Síntese das artes, Muralismo

Resumo

Entre as décadas de 1950 e 1960 em São Paulo, é possível notar a construção um elevado número de edifícios modernos com uma nova e atualizada conexão com as artes decorativas. São obras que estabelecem parceria entre arquitetos e artistas plásticos. Estes últimos criaram diversos  murais feitos em pastilha de vidro, cerâmica, pintura mural e azulejos.

A execução destes painéis mobilizou o trabalho em conjunto de nomes nacionais e internacionais, como Oscar Niemeyer, Cândido Portinari, Clóvis Graciano, Vilanova Artigas, Roberto Burle Marx, Bramante Buffoni, entre outros. Os temas abordados nessas obras variam entre motes alusivos à identidade e à memória paulista: bandeirantes, o trabalho e a indústria, mas podem também escolher formas abstratas, expressando um debate entre figurativismo e abstração, recorrente na época. Neste contexto, estas obras permitem a reflexão acerca da inserção de um programa decorativo na arquitetura moderna e no debate internacional sobre a síntese das artes.

Publicado
2015-12-12
Como Citar
Freitas, Patrícia. 2015. PANORAMA DAS ARTES DECORATIVAS EM SÃO PAULO ENTRE 1950 E 1960. ARTis ON, n. 1 (Dezembro), 161-72. http://artison.letras.ulisboa.pt/index.php/ao/article/view/22.
Secção
ARTIGOS