“BARROS DE PORTALEGRE” – CARACTERÍSTICAS IDENTITÁRIAS E INTERVENÇÕES POSTERIORES À PRODUÇÃO UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A HISTÓRIA DO RESTAURO

  • Francesca Paba Instituto Politécnico de Tomar, Tomar
  • Sara Mariano Instituto Politécnico de Tomar, Tomar
  • Maria José Maçãs Casa Museu José Régio, Portalegre
  • Cláudia Falcão Instituto Politécnico de Tomar, Tomar
  • Ricardo Triães Instituto Politécnico de Tomar, Tomar
Palavras-chave: Restauros Antigos, Terracota Policromada, Alentejo, Arte Sacra

Resumo

Os “barros de Portalegre” formam um conjunto de peças de arte sacra dispersas pela região de Portalegre. Estas
peças encontravam-se em algumas igrejas e ermidas no Norte Alentejano e, na sua maioria, terão sido recolhidas
pelo colecionador José Régio. Não há informação precisa acerca da produção dos “barros de Portalegre”,
embora seja quase certa a origem nessa região, lugar de barristas que deixaram obras significativas. Estudos
feitos no passado apenas tiveram em consideração as características estéticas e estilísticas das referidas peças,
mas observações e intervenções recentes demonstraram que a caracterização feita anteriormente se baseava num
aspecto que afinal não é original – quase todos os “barros de Portalegre” da coleção José Régio estão repintados.

Publicado
2016-10-02
Secção
CAP. III - HISTÓRIA DA CONSERVAÇÃO E RESTAURO DO PATRIMÓNIO