Ética de Publicação

A revista ARTis ON segue os seguintes princípios baseados no Code of Conduct and Publication Malpractice Statement for Journal Editors of the Committee for Publication Ethics – COPE (https://publicationethics.org/).

Os princípios e atitudes seguidos pela ARTis ON nos processos editorial e de publicação são indicadas para todas as partes envolvidas. A ARTis ON é uma revista científica com revisão por pares, comprometida com elevados níveis de ética editorial. Todas as partes envolvidas (direção, conselho editorial, autores, revisores e editor) devem estar de concordo com o processo de publicação, nomeadamente com os princípios e atitudes éticas a seguir. 

1. Conselho editorial

Diretor

Vítor Serrão, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Diretora adjunta e Editora Geral

Clara Moura Soares, ARTIS - Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Conselho Científico Editorial

Ana Calvo Manuel, Departamento de Pintura y Restauración, Facultad de Bellas Artes, Universidad Complutense de Madrid, Spain

Ana Maria Rodrigues, Departamento de História, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Portugal

Anne-Lise Desmas, Department Head of Sculpture and Decorative Arts, The J. Paul Getty Museum, Los Angeles, USA

Carlos Fabião, Departamento de História, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Portugal

David Santos, Curador da Coleção de Arte do Estado, Portugal

Elisa Debenedetti, Università La Sapienza, Roma, Italy

Fabrizio di Marco, Facoltà di Architettura, Sapienza Università di Roma, Italy

Fausta Franchini Guelfi, Università degli Studi, Genova, Italy

Fernando Grilo, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Javier Rivera Blanco, Escuela Técnica Superior de Arquitectura, Universidad de Alcalá Universidad de Alcalá (Madrid), Spain

Joana Balsa de Pinho, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

José Manuel Varandas, Departamento de História, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Portugal

Luís Manuel de Araújo, Departamento de História, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Portugal

Luís Mendéz Rodriguez, Departamento de Historia del Arte, Universidad de Sevilla, Spain

Maria João Neto, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Maria Leonor Botelho, Departamento de Ciências e Técnicas do Património, Faculdade de Letras, Universidade do Porto, Portugal

Maria Lúcia Bressam Pinheiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, Brazil

Marize Malta, Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brazil

Nuno Simões Rodrigues, Departamento de História, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Portugal

Pedro Flor, Universidade Aberta e Instituto de História da Arte-FCSH/NOVA, Portugal

Pedro Lapa, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Rosário Salema Carvalho, Az Rede de Investigação em Azulejo, ARTIS - Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Teresa Leonor do Vale, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

Vanessa Henriques Antunes, ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa / LIBPhys-UNL, Laboratório de Instrumentação, Engenharia Biomédica e Física da Radiação, Departamento de Física, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Portugal

Secretariado

Lúcia Marinho – ARTIS – Instituto de História da Arte, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, Portugal

 

Decisão de publicação

O editor é responsável pela aprovação final dos artigos para publicação. Esta decisão pode ser baseada nas políticas e normas da revista, ou justificada por motivos legais relacionados com plágio, direitos autorais ou infrações éticas. Para a tomada de decisão, o editor pode consultar o conselho editorial, assim como outros editores ou revisores. Os editores devem agir de forma responsável, quando os manuscritos submetidos ou publicados implicam questões éticas.

Revisão dos manuscritos

O editor deve assegurar que a originalidade de cada manuscrito é inicialmente avaliada; subsequentemente, o manuscrito deve ser encaminhado para revisão, de pelo menos dois revisores; estes farão uma recomendação para a aceitação, rejeição ou modificação do manuscrito.

Revisão justa

O editor deve assegurar que os manuscritos são avaliados tendo por base o seu conteúdo intelectual, independente da raça, género, orientação sexual, crença religiosa, nacionalidade ou filosofia política do autor.

Confidencialidade

O editor e o conselho editorial devem assegurar que todas as informações apresentadas no manuscrito são confidenciais para terceiros, exceto para os revisores atribuídos ou para potenciais revisores e para o conselho editorial.

Divulgação e conflito de interesses

O editor não pode usar materiais inéditos divulgados nos manuscritos submetidos na sua investigação pessoal, excetuando se autorizado por escrito pelo autor.

Ao editor não é permitido submeter manuscritos resultantes da sua investigação pessoal à revista pela qual é responsável.

Manipulação de citações

O editor não pode manipular citações, pressionando os autores a citar artigos anteriormente publicados na revista.

 

 2. Autores e suas responsabilidades

Normas de comunicação

Os autores de trabalhos de investigação originais devem apresentar um relato preciso do trabalho realizado, bem como a discussão objetiva da sua importância. Os dados em que se baseia o artigo devem ser apresentados com precisão; o artigo deve conter suficiente detalhe e referências apropriadas para permitir a replicabilidade do trabalho. Declarações fraudulentas ou intencionalmente imprecisas constituem um comportamento antiético e são inaceitáveis. Os artigos aprovados na revisão por pares devem ser precisos, objetivos e sistemáticos.

Autoria, originalidade, plágio e referenciação das fontes

Apenas devem ser submetidos pelos autores trabalhos inteiramente originais e que citem ou referenciem apropriadamente o trabalho e / ou as palavras de terceiros. Devem ser igualmente citadas as publicações que tiveram uma influência na definição da natureza do trabalho submetido. No contexto editorial, o plágio, em todas as suas formas, constitui um comportamento antiético e é inaceitável. Os autores devem estar cientes do autoplágio. O autoplágio é uma área cinzenta, em caso de dúvida os autores devem contatar o editor. Os autores devem garantir que o manuscrito submetido foi publicado anteriormente e que não foi submetido a mais do que uma publicação simultaneamente. Isso constituem práticas antiéticas e são consideradas inaceitáveis.

A autoria do manuscrito submetido deve ser limitada àqueles que contribuíram significativamente para a sua conceção, execução e / ou interpretação. Todos os que contribuíram de forma significativa para o estudo devem ser listados como co-autores. Quaisquer participantes em outros aspetos da investigação devem ser reconhecidos como colaboradores.

Conflitos de interesse

Todos os autores devem incluir uma declaração alegando quaisquer conflitos de interesse relevantes, financeiro ou de outra natureza, que possam ser interpretados como tendo influenciado os resultados ou interpretações constantes no manuscrito. Devem ser declaradas todas as fontes de financiamento da investigação em que o manuscrito se baseia.

Erros fundamentais em trabalhos publicados

Quando um autor descobre um erro ou imprecisão significativa num trabalho já publicado, é sua obrigação notificar de imediato o editor da revista ou a editora e cooperar com os mesmos para reconhecer o erro ou corrigir o artigo; estes assumem a forma de retratação ou errata.

 

 3. Processo de revisão por pares

 Contribuição para as decisões editoriais

Os revisores devem apoiar as decisões editoriais do editor e auxiliar o autor no melhoramento do manuscrito durante todo o processo editorial.

Prontidão

O revisor deve notificar o editor sempre que se sentir desqualificado para rever adequadamente a investigação descrita num manuscrito; ou se não estiver disponível para fazer a revisão no tempo estipulado, para que o manuscrito possa ser enviado para outro revisor para avaliação.

Confidencialidade

As informações contidas nos manuscritos submetidos e recebidos para revisão devem ser mantidas confidenciais, não sendo divulgadas ou discutidas com terceiros, exceto se autorizado ou recomendado pelo editor.

Padrões de Objetividade

As revisões dos manuscritos devem ser realizadas de forma objetiva. As opiniões expressadas pelos revisores, assim como a indicação dos aspetos a melhorar, devem ser fundamentadas.

Referenciação de fontes

Os revisores devem garantir que nos manuscritos os autores citaram todas as fontes relevantes relativas aos dados usados ??na investigação e identificaram afirmações referidas anteriormente noutras fontes e que estas estão acompanhadas da respetiva citação.

Deve ser imediatamente comunicada ao editor quaisquer semelhanças ou sobreposição entre o manuscrito em avaliação e artigos publicados do qual o revisor tenha conhecimento.

Divulgação e conflito de interesses

Os revisores não devem usar como vantagem pessoal quaisquer informações privilegiadas ou ideias contidas nos manuscritos enviados para revisão por pares.

Os revisores não devem aceitar rever manuscritos com os quais tenham conflitos de interesse resultantes de ligações competitivas, colaborativas, ou outras, ou relações com qualquer um dos autores, empresas ou instituições relacionadas com o trabalho submetido.

O processo de revisão por pares está descrito em: http://artison.letras.ulisboa.pt/index.php/ao/about 

 

 4. Ética de publicação

Os editores asseguram todas as medidas possíveis para identificar e prevenir a publicação de artigos onde tenha ocorrido má conduta no processo de investigação.

- Em nenhum caso, a revista ou os seus editores incentivam qualquer conduta imprópria, nem permitem intencionalmente que tal ocorra.

- O editor deverá abordar de forma adequada qualquer alegação de má conduta no processo de investigação.

- A revista dispõe de diretrizes claras para reconhecer erros ou corrigir artigos quando necessário:

A revista assume de forma séria a responsabilidade de manter a integridade e integralidade da investigação veiculada através do seu conteúdo para todos os utilizadores finais. As alterações a artigos após a sua publicação online apenas serão feitas nas circunstâncias descritas abaixo. Como atribuímos grande importância à autoridade dos artigos após a sua publicação, a nossa política é baseada nas boas práticas da comunidade editorial académica.

- Uma errata é uma declaração dos autores do artigo original que descreve resumidamente correções resultantes de erros ou omissões; se estes tiveram quaisquer efeitos sobre as conclusões do artigo, esse facto deve ser referido. O artigo corrigido não é removido da revista online, mas é informada a existência de uma errata; esta estará disponível gratuitamente para todos os leitores e anexa ao artigo corrigido.

- Uma retratação é um aviso de que o artigo não deve ser considerado como elemento da literatura científica. São emitidas retratações quando houver evidências claras de que as descobertas não são fiáveis, devido a má conduta na investigação ou a erro honesto; as descobertas foram publicadas anteriormente sem a devida referência, permissão ou justificação; o trabalho foi plagiado; ou o trabalho se refere a processo de investigação não éticos.

Para proteger a integridade do registo, o artigo retratado não é removido da revista online, mas é informada a existência de uma retratação; esta estará disponível gratuitamente a todos os leitores e anexa ao artigo retratado. As retratações podem ser publicadas pelos autores quando descobrem erros científicos substanciais, ou pelos editores quando considerarem que uma retratação é apropriada. Em qualquer caso, a retratação indica o motivo e quem é o responsável pela decisão; deve ficar registado se a retratação não for feita com a concordância unânime dos autores.

Em casos raros e extremos, envolvendo infração legal, o editor pode editar ou remover um artigo. As informações bibliográficas sobre o artigo serão mantidas para garantir a integridade do registo científico.

- Sempre que necessário, os editores publicam correções, esclarecimentos, retratações e pedidos de desculpa.

 

 5. Direitos autorais e acesso

A revista disponibiliza acesso aberto imediato ao seu conteúdo, com base no princípio de que disponibilizar gratuitamente a investigação ao público proporciona uma maior partilha global do conhecimento.

Informações sobre direitos de autor e licenças estão disponíveis aqui:  http://artison.letras.ulisboa.pt/index.php/ao/about/submissions http://artison.letras.ulisboa.pt/index.php/ao/about

Os artigos estão disponíveis para os leitores sem qualquer subscrição ou pagamento.

 

 6. Arquivo

O conteúdo da revista é preservado indefinidamente pelo  https://pkp.sfu.ca/pkp-lockss/  como depósito legal.

 

Outros princípios de transparência e boas práticas:

 

 7. Propriedade e gestão

Informações sobre propriedade e gestão estão disponíveis em:

http://artison.letras.ulisboa.pt/index.php/ao/about

 

8. Site

O site da revista, incluindo os textos nele disponibilizados, demonstram que foram tomadas todas as precauções necessárias para assegurar elevados padrões éticos e profissionais.

 

9. Cronograma de publicação

A revista é publicada anualmente.

 

10. Nome da revista

O nome da revista, ARTis ON, é único e não se confunde com o nome de outro periódico; nem induz em erro os potenciais autores e leitores sobre a origem do periódico ou a sua associação com outras revistas.